Séries




Série: No meio do caminho tinha uma pedra
Aprendendo a transformar as pedras que encontramos no meio do caminho

Para acessar outras séries clique abaixo em leia mais

OLIMPIADAS RIO 2016

ATLETAS DE CRISTO






Texto: 1 Corintios 9.24-27

Terá inicio nesta sexta-feira, dia 05/08/16 o maior evento da terra. Nenhum outro evento é capaz de reunir representações de tantas nações em um só lugar. Começam os 31 jogos olímpicos da era moderna.

Serão mais de 200 paises, mais de 11 mil atletas, estima-se 4,5 bilhões de pessoas acompanhando o evento pela televisão. Números impressionante para marcar a história, em especial do Brasil, como o primeiro país da América do Sul a sediar tal evento.

Falar de Jogos Olímpicos na Inglaterra, não tem como não lembrarmos de um dos grandes filmes premiados do cinema: CHARIOTS OF FIRE (Carruagens de Fogo). Filme premiado em 1981 com 4 Oscars e eleito o melhor filme do ano. Carruagens de Fogo conta a história de 2 jovens atletas que desejavam participar dos Jogos Olímpicos na Inglaterra no ano de 1924. Eric Lidell - um cristão fervoroso, criado nos princípios do Evangelho de Jesus, o outro era Harold Abrams – um judeu, filho de um comerciante bem sucedido e que desejava através do êxito esportivo vencer a segregação social pela qual passava. O filme tem início com um dos personagens já idoso, relembrando os feitos e dizendo: “Eles tinham asas nos pés e uma esperança inabalável no coração”.

Porque é que estamos falando sobre Olimpíadas ? Porque temos destacado na abordagem inicial o tema dos esportes ?

As Escrituras Sagradas nos apresenta diversos exemplos de esportistas e cita até mesmo a expressão atleta para comunicar lições importantes sobre a vida cristã. Paulo é quem mais usa destas metáforas esportivas aplicadas a fé! Vejamos alguns exemplos:

- Hebreus 12.1-4: “Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus.
Pensem bem naquele que suportou tal oposição dos pecadores contra si mesmo, para que vocês não se cansem nem se desanimem. Na luta contra o pecado, vocês ainda não resistiram até o ponto de derramar o próprio sangue”.

- 2 Timóteo 4.7: “Combati o bom combate, completei a carreira e guardei a fé”

- 2 Timóteo 2.5: “O atleta não é coroado se não lutar segundo as normas”.

- Filipenses 3.14: mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.

- Apocalipse 2.10: “Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida”.


CONSIDERAÇÕES INICIAIS DO TEXTO:

a.     Os Jogos Olímpicos surgiram na Grécia Antiga. A igreja cristã durante o império romano alcançou esta localidade e conviveu com esta cultura helenista e esportiva.
b.     Paulo deveria ser um afixionado por esportes. Diversas vezes ele lança mão do uso de exemplos esportivos para ilustrar sua mensagem.
c.      Na cidade de Corinto de 3 em 3 anos aconteciam os Jogos do Istmo. Uma espécie de olimpíadas regionais e ali os atletas eram premiados com coroas de ramos de pinheiro.
d.     O tema da porção lida não poderia ser outro, senão: ATLETAS DE CRISTO!

Vejamos algumas lições neste texto, sobre os atletas de Cristo!



1.     TODO ATLETA PRECISA TER DISPOSIÇÃO

O texto bíblico declara no verso 24: “Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis”.

Paulo faz questão de mencionar que o atleta de Cristo para ser vencedor na corrida da fé, precisará correr de maneira tal que alcance o prêmio! Ou seja, se o atleta olímpico corre com disposição, não será com sombra e água fresca que venceremos na fé!

Como você tem desenvolvido sua caminhada, sua trajetória ou sua corrida de fé ? Um paradoxo Olímpico acontece quando um atleta brasileiro recebe a medalha de ouro, logo em seguida é tocado o hino nacional que diz: “Deitado eternamente em berço esplêndido”. Seguramente, nenhum atleta alcançou êxito numa competição desta monta – deitado em berço esplêndido. Foi preciso dedicação, disposição, atitude para vencer a balança, a fraqueza, as limitações físicas...

Ninguém chega a lugar nenhum sem disposição:
- Josué 1.2: “Disse o Senhor a Josué, filho de Num – Moisés, meu servo é morto, dispõe-te agora e passa o Jordão...”

- Jó 11.13 e 15: “Se dispuseres o coração e estenderes as mãos a Deus, então, tu levantarás o rosto sem mácula, estarás seguro e não temerás mal algum”.

Há um ditado famoso que afirma: “O covarde é aquele que nunca começa!” Veja o vídeo sobre disposição para fazer as coisas acontecerem....


2.     TODO ATLETA PRECISA TER DISCIPLINA

O texto bíblico declara no verso 25: “Todo atleta em tudo se domina”. Nenhum atleta entra em uma competição sem que tenha treinado adequadamente. Parte essencial do treino é a disciplina: dormir na hora certa, não se alimentar com porcarias, evitar determinadas situações de estresse....
A palavra disciplina tem relação com correção. Corrigir uma postura, um exercício errado, algo imperfeito... Temos vícios de trânsito, vícios de postura, vícios de pensamento. O atleta de Cristo precisa aprender identificar suas falhas e se dominar, se disciplinar em suas fraquezas.
Tito 1.8 afirma que o líder cristão precisa ter domínio de si mesmo; Paulo declara que uma pessoa cheia do Espírito Santo, não é aquela que fala em línguas ou tem visões sem fim, mas que produz o fruto do Espírito – entre estes o domínio próprio. Domínio próprio pode ser também identificado com temperança, sobriedade.

O Brasil estava se preparando para as competições Olímpicas em Londres. A equipe de basquete feminina estava treinando duro. Uma cartilha fora distribuída as atletas sobre o que poderia ou não fazer. Na véspera da competição, a atleta Iziane desrespeito as normas estabelecidas, e mesmo sendo uma jogadora diferenciada foi cortada da equipe que disputará os jogos olímpicos de Londres. Motivo – indisciplina! O indisciplinado compromete todo o trabalho. O indisciplinado quer burlar as regras, as normas, as convenções...

Veja o Vídeo de Bem Johnson
Nas Olimpíadas de Seul, em 1988, o velocista canadense Ben Johnson alcançou a medalha de ouro nos 100 metros rasos com o tempo de 9.67 segundos. Horas depois, sua medalha é retirada e ele suspenso do esporte por dopping, fraude!

O Apóstolo Paulo declarou: “ Nenhum atleta é coroado se não lutar conforme as normas”.


3.     TODO ATLETA PRECISA TER METAS

O texto bíblico afirma isso, no verso 26: “Assim corro também eu, não sem metas”. Cada atleta tem sua meta. Uns almejam a medalha de ouro, outros bater o Record olímpico, outros apenas melhorar sua performance, outros anseiam por completarem a prova... cada qual te sua meta! E a sua, como cristão, qual é ? Qual é ?

Você tem metas profissionais ? Você traça metas financeiras para sua vida? Você muitas vezes almeja uma viagem, ou um bem material. Alguns traçam a meta de se casarem até o final do ano... e na vida cristã ? Qual é a tua meta ?

Alguém já disse com grande propriedade: “Quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve!”

Quando não temos metas, não seguimos em frente. A facilidade de abandono é muito grande. O autor da epístola aos hebreus afirmava: “corramos com perseverança a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o autor e consumador da fé – Jesus Cristo”.

Determinação e Perseverança! Estas são as palavras chaves para seguir atrás de uma meta. Veja o exemplo desta maratonista:

Video de Gabrielle Andersen
Gabrielle Andersen é uma atleta suíça que participou nas Olimpíadas de Los Angeles e da primeira prova de Maratona Feminina dos Jogos de 1984. O calor era tão intenso que mesmo os atletas preparados não estavam suportando as dificuldades do esforço físico. Gabrielle Andersen entra no estádio olímpico se arrastando. Exaurida, convulsionando, ela se arrasta determinada até a linha de chegada. Não aceita parar, não aceita ajuda – o que a desclassificaria. Ela chega bem atrás das outras... mas chega! Perseverante, determinada ela cruza a linha de chegada!


4.     APENAS O ATLETA VENCEDOR RECEBE O PRÊMIO

O texto bíblico afirma no verso 24: “todos os atletas no estádio correm, mas apenas um leva o prêmio”.

Desde a antiguidade, os atletas vencedores eram destacados e premiados dos demais. Era um símbolo de reconhecimento e honra. Na antiguidade, os atletas recebiam uma coroa de louros. Esta coroa era entregue por líderes políticos importantes da época. Na modernidade dos Jogos, a coroa de louros foi substituída por medalhas: de Ouro para o primeiro; de prata para o segundo, e de bronze para o terceiro.

Mas há uma outra premiação que transcende estas normais. Ela não é dada ao vencedor. Ela é dada a atletas diferenciados por sua ética e desportividade.

Voce conhece este atleta ? Vanderlei Cordeiro de Lima ? Nas Olimpíadas de Atenas, ele vencia a prova da maratona, quando no 36º kilometro um religioso irlandês, invadiu a pista e o agarrou. Ele vencia por mais de 600 metros o segundo colocado. Mas o incidente o desconcentrou, tirou seu foco da prova, quebrou seu ritmo. Logo foi ultrapassado por 2 outros atletas. Vanderlei entrou em terceiro no estádio olímpico e foi aplaudido de pé. No pódium recebeu a medalha de bronze. Mas o comiteO Comitê Olimpico lhe conferiu logo após, uma medalha de nobreza – a honraria máxima das Olimpíadas pelo seu gesto de continuar na prova, pelo seu espírito esportivo perseverança – a medalha do Barão de Coubertin.

“A Medalha Pierre de Coubertin é uma honraria humanitária concedida pelo Comitê Olímpico Internacional a atletas que demonstrem alto grau de esportividade e espírito olímpico durante a disputa dos Jogos e tem o seu nome em homenagem ao criador dos Jogos Olímpicos modernos, Barão Pierre de Coubertin.
Diferente das medalhas de ouro, prata e bronze, esta medalha - que é toda feita de ouro - não tem relação com o desempenho técnico do competidor, mas com suas qualidades morais e éticas e a demonstração do mais puro espírito esportivo em situações difíceis ou inusitadas acontecidas durante as disputas”.


Os atletas fazem de tudo para alcançarem o prêmio maior – a medalha de ouro. Na vida cristã, esta metáfora é apresentada diversas vezes:
- Coroa da vida: Apocalipse 2.10
- Coroa da justiça: 2 Timóteo 4.8
- Coroa incorruptível: 1 Coríntios 9.25.

Na vida cristã, não é apenas o primeiro que leva o prêmio, mas todos aqueles que forem achados no amor de Cristo – somos mais que vencedores!


CONCLUSÃO:

Como atletas de Cristo, somos chamados a corrida da fé. Se desejamos ser vencedores nesta longa corrida da vida, é preciso aprender:
1.     Todo atleta precisa ter disposição
2.     Todo atleta precisa ter disciplina
3.     Todo atleta precisa ter metas
4.     Apenas os atletas vencedores receberão a premiação


Devocional






"Mas José, seu esposo, sendo justo e não a querendo infamar, resolveu deixa-la secretamente. Enquanto ele considerava estas coisas em seu coração..." (Mateus 1.19-20).

Que texto tremendo! Ele acaba por completo com esta síndrome da perfeição humana que povoa alguns redutos cristãos. Põe um ponto final nesta pieguice atual de que o homem não vivencia problemas, de que relacionamentos em "Deus" são perfeitos e blindados de toda adversidade.
O texto nos leva aos dias que precediam ao nascimento de Jesus. Maria e José estavam casados.... como mandava a tradição daqueles dias... passavam um tempo juntos para adaptação antes da celebração das núpcias... mas não houve conjunção carnal (sexo) entre eles.
Mesmo assim...


Do livro: Vencendo com as pessoas



O PRINCÍPIO DA CIRCUNSTÂNCIA

“Nunca permita que uma situação tenha mais valor do que um relacionamento”

O que você faria se tivesse uma chance na vida de realizar seus sonhos, crescer e assumir o lugar na elite de sua profissão, tornando-se um campeão? E o que aconteceria se apenas uma pessoa se colocasse entre você e sua meta? E se este única pessoa fosse sua irmã?

Foi esta a situação que Serena Willians enfrentou. Se você é um aficionado do tênis, sabe sobre as irmãs Venus e Serena Willians. As meninas que cresceram juntas como irmãs e tornaram-se as duas mais excelentes tenistas do ranking feminino. Todavia, a mais velha (Venus) sempre vencia sua irmã (Serena). Venus era o entrave para que Serena tornasse a melhor na sua profissão. O que vale mais, uma situação ou uma relação?

Venus e Serena não escolheram ser irmãs. A maioria de nós não tem como escolher quem faz parte da família. Mas podemos escolher a maneira de tratar nossa família. Decidimos se alimentamos ou negligenciamos os relacionamentos familiares. E sejamos sinceros: toda família tem alguém que coloca os relacionamentos à prova. A maneira como vamos tratar essas pessoas também é uma escolha a ser feita. Muita gente espera que os relacionamentos sejam fáceis. É muita ingenuidade. Basta pensar nos votos do casamento para perceber que sinalizam que a vida será difícil e que podem ocorrer situações de concorrerão para uma separação: tristeza, pobreza, doença, tempos difíceis. A questão é: quando estes momentos difíceis chegarem, o que será mais importante? A situação ou a relação?

Manter um relacionamento forte é uma questão de decisão. Uma das razões pelas quais o índice de divórcio é tão alto é que muita gente se casa sem um compromisso firme de nunca permitir que qualquer situação seja mais importante que o relacionamento. Toda vez que alguém coloca a situação na frente do relacionamento, isso acontece pela seguinte razão: criou-se uma falta de perspectiva. É preciso lembrar que gente é sempre mais importante que coisas. Bens, cargos, poder e sucesso... tudo isso vai passar.

COMO MANTER A SITUAÇÃO NA PERSPECTIVA MAIS APROPRIADA?

Para não perder a perspectiva e se prevenir do erro de permitir que a situação se torne mais importante que o relacionamento, você pode fazer varias perguntas a si mesmo:
1.       Será que enxergo a situação como um todo ou só vejo as coisas ruins?
2.       Será que associo a situação como um todo com as coisas ruins que me acontecem?
3.       Esta circunstância é pontual ou tornou-se recorrente?
4.       Sou capaz de mostrar o meu amor incondicional durante as situações mais difíceis?
5.       Será que faço muita tempestade em copo dágua?
Como saber se está fazendo muita tempestade em copo dágua? Há umas perguntas que ajudam este diagnóstico:
a.       Com que freqüência você fica tenso ou irritado?
b.      Com que freqüência você levanta a voz quando conversa com alguém e discute uma situação de diferença de opinião?
c.       Você costuma brigar pelo que é certo ou para manter sua autoridade?

Se estas coisas acontecem cm certa freqüência, sua perspectiva pode estar equivocada. Estar constantemente agitado não é uma maneira saudável de viver, nem desenvolve ou mantém relacionamentos saudáveis.

Livro: Vencendo com as pessoas

Autor: John Maxwell