SÉRIE: MISSÕES NO CORAÇÃO DE DEUS - Parte 4

A Primeira Viagem Missionária (Atos 13 e 14)



2. QUANTO A EXECUÇÃO


c. Cuidando das Baixas na Missão

Devems entender que fazer missão não é algo romântico. As lutas são duras, a oposição é clara e os recursos muitas vezes são escassos.  Não são poucos que no calor da batalha, em meio as  lutas e adversidades, chegam a esmorecer. Não são poucos que tombam.

O relatório bíblico aponta que João Marcos, que era primo de Barnabé (Colossenses 4.10) e filho de Maria (Atos 12.12) uma mulher rica que acolheu a igreja em sua casa, provável lugar da ceia do Senhor... João Marcos acostumado a toda facilidade, não suportou o calor da missão, os confrontos, e limitações.

Assim, o texto diz: “ João, porém, apartando-se deles, voltou para Jerusalém” (v.13).  Há quem diga que além da adversidade inicial passada na Ilha de Pafos, João Marcos se ressentiu com a mudança de liderança na missão.  Em 13.2 se diz: Barnabé e Saulo.  Em Atos 13.7 também está claro: Barnabé e Saulo.  Mas no verso 9, o tal Saulo passa a confrontar as oposições tomado pelo Espírito de Deus. Parece para alguns que daí em diante Saulo ou Paulo, assume o comando o que traz insatisfação ao jovem imaturo na fé João Marcos. Atos 13.1 lemos: Paulo e seus companheiros.... nem menção de Barnabé é feita de maneira destacável daí para adiante.Há pessoas imaturas na fé que se prendem a lideranças humanas. Não conseguem lidar com o fato de que homens são transitórios e que a liderança muda, mas o propósito não. Nossas igrejas estão cheias de pessoas assim... se fulano não é mais o líder eu não continuo, não participo, não me envolvo...

O fato é que se por um motivo ou outro, ou pelos dois juntos... João Marcos abandonou o projeto missionário. Isso lá na frente traria uma dissenção muito grande entre Paulo e Barnabé. Mas por enquanto, basta-nos a consideração de que  muita gente tem tombado fazendo missão. Há agencias missionárias que investem em profissionais da saúde – física e mental para amparar seus guerreiros de linha de frente. A continua exposição a oposição e conflito pode trazer prejuízos sérios e profundos os atuais João Marcos na missão. Não olhe com o olhar de Paulo... que via em João Marcos um fraco. Olhe como Pedro fez, que o acolheu, treinou e  fez dele um grande líder da igreja em Roma e no Egito.


d. Exercitando a Pregação

Em Atos 13.16-41 encontramos um registro do que foi a pregação dos missionários. Eles se dirigem a um local estratégico para expor as Sagradas Escrituras. O conhecimento da Palavra a facilidade de concatenar a história da redenção. A mensagem tinha em Cristo seu centro. Não apelava para as necessidades materiais, prementes e circunstanciais dos ouvintes. O Evangelho não necessita ser diluído para ser absorvido.

Mas mesmo assim, a semente lançada pode ser acolhida ou rejeitada. A possibilidade de rejeição é evidente e clara a despeito de quem prega e da profundidade que se tem. Os frutos não serão colhidos se a semente não for lançada. Não devemos pensar em quem ira acolher ou não. Isto é obra do Espírito que despertará em cada coração o desejo. Lance a semente. Anuncie de maneira estratégica a mensagem do Senhor e da sua Salvação.

Inicialmente, em Antioquia da Psidia eles receberam um lenitivo. Pediram para que no próximo sábado, pudessem novamente lhes ministrar a Palavra. Porém no sábado seguinte foram rejeitados, perseguidos e expulsos da localidade (13.50).

Porém, não desanimaram. Em Atos 14.1, eles entram novamente na sinagoga, em Icônio e pregam o Evangelho de Jesus. E grande multidão veio a crer. As vezes um não circunstancial nos leva a um sim divinal... A expulsão de Antioquia da Psídia trouxe-os a Icônio, onde grande bênção ocorreu por intermédio da Palavra e do Espírito Santo. “Permaneceram alimuito tempo” (14.3).

Em Listra, após ter pregado o Evangelho, os opositores de Icônio e Antioquia se ajuntam e espancam Paulo deixando-o como morto (14.19). Nem tudo são flores no exercício da pregação, na execução da missão.


e. Retornando à Casa Mãe

Como é lindo pensar na alegria da Igreja investidora ao ouvir os relatos de seus missionários enviados (14.21-23). Ouvirem dos testemunhos de quanto Deus fez na vida de tanta gente a partir do investimento e apoio que ele, membros de Antioquia, fizeram.

Foi a visão dada por Deus aquela comunidade que estava fazendo história. O Evangelho crescia, vidas eram transformadas, igrejas edificadas, liderança era formada... Como é importante o missionário ter sua casa mãe. Seu canto de retorno, sua igreja investidora, parceira. Seu lar doce lar para retornar após o cumprimento de seu projeto.

Assim, esta viagem inaugural de um tempo novo na obra do Evangelho, de maneira extraordinária e maravilhosa chega ao seu final.  Projetos precisam ter inicio, meio e fim. Não há como se desenvolver coisa alguma sem esta percepção. Muitas vezes nos perdemos nas nossas procrastinações, ou na falta de objetividade, ou nos encantamos com alguns resultados positivos que desejamos repeti-los infindavelmente... Há tempo para tudo... até para voltar pra casa!