Devocional de Elias – 6

I Reis 18.30-32
30 Então, Elias disse a todo o povo: Chegai-vos a mim. E todo o povo se chegou a ele; Elias restaurou o altar do SENHOR, que estava em ruínas.
31 Tomou doze pedras, segundo o número das tribos dos filhos de Jacó, ao qual viera a palavra do SENHOR, dizendo: Israel será o teu nome.
32 Com aquelas pedras edificou o altar em nome do SENHOR”...

O encontro entre Elias e Acabe se deu sob orientação divina para que um confronto fosse marcado entre os sacerdotes de Baal e o profeta de Deus. O local escolhido foi o Monte Carmelo, que na cultura daqueles dias, era considerado a casa de Baal. De um lado, Elias afirma (v.22); “Só eu fiquei dos profetas do Senhor...” do outro lado, juntaram 450 homens a serviço de Baal. 
                                  
Os profetas de Baal tiveram a oportunidade inicial, e se feriram, se auto mutilaram, invocaram seu deus da aurora até o entardecer. Ninguém respondeu. Elias toma a vez ao fim do dia, quando o sol começava a se por. Desse encontro podemos meditar nas seguintes questões:

1. RESTAUROU O ALTAR DO SENHOR
Há muitas práticas hoje em dia em nome da novidade naquilo que se chama de cristianismo em muitos lugares. Há na verdade, muito fogo estranho sendo aceso no altar do Senhor. Muita coisa que não tem fundamentação bíblica é praticada hoje em nome do culto a Deus. São elementos estranhos no altar do Senhor.

Elias ao enfrentar os profetas/adoradores de Baal na casa de Baal, ele restaura o altar do Senhor. Que tremendo! Elias retoma as promessas do Eterno, as doze tribos de Israel, como base de sua adoração. A revelação de Deus na história desse povo foi a base do altar estabelecido para cultuar ao Senhor.

O altar do Senhor diz o texto, “estava em ruínas”. Havia culto em Israel, o povo ora pendia a Baal, ora pendia a Yahweh. Elias afirma isso dizendo (v.21): “Até quando coxeareis entre dois pensamentos?”  Todavia, a essência monoteísta do culto ao Senhor havia se desintegrado entre o povo. Elias antes de iniciar qualquer coisa, restaura o altar, onde se cultua a Deus em Israel.


2. NÃO PODEIS SERVIR A DOIS SENHORES
No versículo 21 Elias declara: “Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-o; se é Baal, segui-o”. O sincretismo religioso (mistura de religiões) estava bem presente em Israel nos dias de Acabe. A importação de práticas baalisticas que nada tinham com o Deus de Israel eram executadas sem nenhum pudor, temor ou base escriturística.
O ministério de Elias era no dizer de seu próprio nome: “O Senhor é Deus!” Era a anunciação do resgate do monoteísmo no meio da nação. Há práticas que com o tempo parecem obsoletas, antigas, descabidas... afinal, outros tempos, outros desafios... Assim Israel foi enredado ao sincretismo. Assim inúmeras igrejas cambaleiam trôpegas precipício abaixo em práticas de adoração que nada tem a ver com a revelação do Deus de Israel. Fazem por que se sentem bem, porque acham bacana... mas o culto tem que ter a centralidade divina, não do homem e seus gostos.


3. DEUS VERDADEIRAMENTE RESPONDE
Se de um lado, os profetas de Baal, cerca de 450 deles, gritavam, se cortavam, rodavam ao redor do altar e nada acontecia... pelo contrário, Elias até zombava da falsa fé que professavam... por outro lado, Elias ao restaurar o altar, pede que encharquem o mesmo com água abundante, para que não houvesse dúvida nenhuma que o Deus de Israel responderia com fogo no altar. Elias clama; não se corta, não se mutila... o sacrifício era o cordeiro no altar (estabelecido por Deus) e não o humano. Deus responde com fogo. Consome o holocausto, a água e tudo ao redor. O povo se espanta ante tão tremenda demonstração de poder. Diante da resposta verdadeira e inequívoca do Senhor.

Restaure o altar do Senhor, sirva somente ao Senhor e as respostas do alto virão inequívocas em sua vida. “Se o meu povo que se chama pelo meu nome, se humilhar, orar e me buscar e se converter dos seus maus caminhos; então eu ouvirei dos céus, perdoarei o seu pecado e sararei a sua terra|” (2 Crônicas 7.14|).
Pr. Carlos Junior